Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2015

Brilho

acende apaga, acende apaga, acende apaga, acende apaga esse pisca-pisca ainda vai dar curto-circuito perigo: espontaneidade escapa luz precisa brilhar infinito
Maritta Cury
19/05/2015


Espera

Construindo uma história, imagino fazer palavras escreverem-se sozinhas sem sucesso, logo as impeço... e a fábula segue à espera... à espreita... sem saber se terá um final feliz
Maritta Cury 14/05/2015

Romântica?

E eu que sempre me pensei romântica
Descobri que já não tenho mais pressa

Maritta Cury
12/05/2015


Mãe, sempre, mãe

Minha mãe, minha eterna mulher maravilha,
pra sempre minha rainha
Mais forte não há
Vivo em busca de um suspiro de tudo que recebi de ti
Pra um dia lhe ofertar
Maritta Cury 10/05/2015 

Ballet

Pura magia Imensa dificuldade Desafia a espinha À prova de gravidade Intensa paixão Sem nenhuma pretensão 
Maritta Cury 


Andrea

Não há tempo que apague a saudade Apenas um abraço que a alma invade E permite que a vida o coração acalme
Maritta Cury
22/04/2015


Contradição

Eu diria que amor é igual poesia
Mais ou menos um troço assim
Sublime no começo e triste no fim

Maritta Cury

Nice

Por ora me sinto como Vitória de Samotrácia
Sem cabeça e com belas asas
Se colocada na proa de um navio
Fico uma graça, causo até arrepio
Mas preciso de ajuda... Devo ser restaurada
Aí sim, posso voar, sem me afogar
Venço a batalha, pronta pra ser apreciada

Maritta Cury
26/02/2015

Aquarianas Doidivanas

Eu e elas, minhas aquarianas
Tão belas, doidivanas
Vivo vidas ao lado delas
É que não sou boba não
Bebo um pouquinho do que elas dão
Hidrato minha alma de verdade
Uma gotinha de coragem
Mais uma de arrojo e liberdade
Com um tanto de beleza e espontaneidade
Elas sabem viver, contornar, desviar
E, se preciso for, voltar em outro ritmo
Por isso, observo, admiro, curto, choro, rio
Me divirto e amo infinito

02/2015

Sonhos Simples

Simples sonhos
A duras penas

Maritta Cury
09/02/2015

Tempo Mole

Como num relógio de Dalí O tempo derrete minha mente Mole, surreal e indecente Um lá, outro acolá e eu aqui
Maritta Cury 28/01/2015

Luz

Às vezes está tão escuro que é melhor nem acender a luz. Maritta Cury 25/01/2015

Entre Rochas

Entre duas montanhas rochosas Uma longínqua estrada formosa Em cima da ponte me vejo Pensando se pulo, espero ou festejo
 Maritta Cury 12/01/2015

Encante

Quem escreve
  seus males encanta



Maritta Cury
07/01/2015

Segredo

Romântico é aquele que aposta no SEGREDO revelado, escancarado já o esperto, prefere deixá-lo de lado, mofado
Maritta Cury 06/01/2015